comet1

Originally uploaded by Frank Boisvert.

Muita gente ainda acredita que para colocar pessoas aprendendo e trabalhando juntas na internet, é preciso algum software colaborativo de última geração.

Eles se esquecem que os aspectos sociais de relacionamento e integração entre as pessoas são os verdadeiros fatores que determinam o sucesso ou fracasso de qualquer experiência de aprendizado ou trabalho à distância em grupo.

O sistema humano é muito, mas muito mais importante que o sistema tecnológico.

Ambientes competitivos geram equipes desintegradas. As pessoas não conseguem dar o melhor de si em comunidades onde só os vencedores são reconhecidos.

Todos do grupo devem ter uma atitude de compartilhamento para que um projeto colaborativo possa funcionar, presencialmente ou virtualmente, tanto faz.

Ocorre que os meio digitais são mais transparentes e refletem com clareza a capacidade de comunicação e troca dos indivíduos. Enquanto nas reuniões presenciais é possível participar sem contribuir, nos ambientes digitais isso não acontece. Aqueles que só ouvem, nunca falam, não comentam e nem contribuem, aparecem como o que realmente são: colaboradores ausentes.

O homem vem desenvolvendo técnicas de relacionamento presencial a séculos. No controle destas técnicas é possível “enrolar” nas reuniões, fazendo um teatro até um pouco eficaz. No digital, é bem mais difícil!

Claro que estas afirmações podem parecer um tanto arbitrárias e discutíveis. Pois então, o que você está esperando? Comente, e vamos discutir.

Anúncios
  1. Alberto Blumenschein

    Em comunidades online os participantes em geral se dividem da seguinte forma:
    1% participa ativamente ,
    9% participa de vez em quando e
    90% observam, acompanham mas geralmente não participam.
    São os chamados “lurkers” (observadores) ou corujas como preferem alguns.
    Em outras situações o resultado é ainda mais contrastante:
    Na blogosfera:
    0.1% postam regularmente
    5% postam de vez em quando e
    94.9% nunca postam.
    Na wikipedia mais e 99% são lurkers, já que dos mais de 32 milhões de “unique users” apenas nos EUA apenas 75.000 aparecem como “contribuidores ativos”, conforme declarado na página “about”.
    É a chamada “desigualdade da participação” típica das comunidades online.
    Existem muitas discussões sobre como dinamizar a ampliar a participação e destas surgiram alguma “dicas” para ampliar a participação, como p.ex.:
    – Facilitar a participação;
    – Fazer da participação um efeito colateral de outras atividades;
    – Priorizar o “editar” ao invés do “criar”;
    – Premiar as contribuições mas sem exagero e
    – Promover os contribuidores .
    No entanto gostaria de destacar que a não participação ativa não é um mal em sí ou um comportamento necessáriamente nefasto ou reprovável. É preciso sim compreender o silêncio e trabalhar com ele. Por exemplo a wikipedia traz uma série de definições sobre os diversos tipos de lurkers que valem uma olhadela e alguma reflexão.
    Visitem:
    <a href=”http://en.wikipedia.org/wiki/Lurkers” rel=”nofollow”>http://en.wikipedia.org/wiki/Lurkers</a&gt;
    Os dados acima foram retirados do artigo :
    Participation Inequality: Encouraging More Users to Contribute
    C.2006 by Jakob Nielsen
    <a href=”http://www.useit.com/alertbox/participation_inequality.html” rel=”nofollow”>http://www.useit.com/alertbox/participation_inequality.html</a&gt;

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: