Paola Ferrara

Originally uploaded by PedroKirilos.

Ao nascermos estamos totalmente dependentes. Nossa vida está nas mãos de alguém que nos cuide. Sem alimento, proteção e cuidado, desaparecemos. Esta é uma condição da espécie humana. Como a lagarta que tem uma predisposição biológica a se transformar em borboleta, somos predispostos ao cuidado, ao zelo, ao amor.
Criaturas sociais, ao contrário do tubarão, por exemplo, damos prazer a quem nos cuida. Acariciar um bebê é bom. Aconchegá-lo é uma experiência prazerosa para um adulto da espécie. Nascemos então na confiança de que seremos amados, como condição de nossa própria vida e continuidade da espécie.
Confiar é nossa primeira perspectiva como observadores de nossa própria vida. Essa confiança então ainda está em nós, como referência básica de equilíbrio e harmonia interpessoal.
Já haviam pensado nisso desta forma? Humberto Maturana já.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: